quinta-feira, 3 de março de 2011




                                              DISPERSÃO



No ziguezague
Da avenida iluminada
Perguntei a crianças e ébrios
Entre blocos de sujos
Onde estaria você

Fitei rostos na concentração
Com a amostra do pano
De tua fantasia
Entre os dedos

Percorri a evolução
Com a intensa promessa
Do teu amor no coração

E parece que hoje ainda é
A quarta-feira
E que o ano nunca passou

Certamente foste além
Para outros carnavais
Pois agora dentro de mim
Levo estampada a lágrima
Que me pintaste no rosto
Na dispersão


Frederico Régis

Um comentário:

O POETA DE MEIA-TIGELA disse...

FREDE, UMA QUADRINHA INSPIRADA EM SEU BELÍSSIMO (!) POEMA

Sumiste e eis-me aqui, ranzinza,
Em meio à ridente Horda:
Pra todos é terça-gorda;
Só pra mim - quarta-de-cinzas!

Postar um comentário